COMUNICADO


COMUNICADO A ANPPAT - Associação Nacional dos Parceiros de Plataformas Alternativas de Transporte entende que, à luz da recente manifestação do sector do táxi, das declarações prestadas pelos seus responsáveis e membros, e igualmente por responsáveis políticos, está na HORA DE DIZER BASTA! É HORA DE DIZER BASTA! Somos chamados de ilegais, mas no momento em que foi aprovada e promulgada em sede própria legislação específica que regulamenta o sector de TVDE, aqueles que nos assim apelidam querem revogar a lei. É HORA DE DIZER BASTA!, à contínua falácia com que nos atacam. Nós também somos trabalhadores honrados, também nós temos famílias e encargos a cumprir. Todas as empresas que prestam os serviços de transporte privado de passageiros são portuguesas, pagam as suas contribuições e impostos em Portugal e criaram milhares de novos postos de trabalho. É HORA DE DIZER BASTA!, à indiferença com que somos tratados pelos políticos. Quando a uns dão toda a atenção e aos outros pouca ou nenhuma, será que existem portugueses de primeira categoria e segunda categorias? Será que não é altura de também o Exmo. Senhor Presidente da República nos receber em audiência? Desde há muito que a ANPPAT e os seus associados, parceiros e motoristas lutam por uma legislação específica para a actividade de TVDE. Muito sofremos com as perseguições das autoridades, através da aplicação indevida de leis que não podem ser aplicadas à nossa actividade. No tempo que decorreu até à promulgação da lei agora contestada pelas associações do sector do táxi, a ANPPAT e os seus associados sempre apresentaram soluções, sempre agiram de forma calma e honesta, não obstante os constantes e contínuos ataques de que fomos alvos, sempre com contributo positivo, tendo inclusive entregue no parlamento uma proposta para a lei do TVDE. A lei aprovada, ainda que não seja perfeita, é essencial e devida. Tem muitas arestas para limar e, tal como até aqui, cá estaremos para contribuir. A ANPPAT aceita a discriminação positiva a favor do sector do táxi, visto que estes providenciam um transporte público e não privado como o TVDE. Como tal, face às obrigações que têm, devem ter direitos em consonância. No entanto, é-nos cada vez mais difícil aceitar a sua constante contestação, quando não se vêem quaisquer sinais no sector do táxi de verdadeira vontade de se modernizar e prestar um melhor serviço. Essa sim, será a verdadeira forma de manter a sã concorrência com outros operadores de actividades similares. Também não entendemos como não são aplicadas ao sector do táxi exigências elementares como, por exemplo, a facturação electrónica e automática. A ANPPAT acredita que o bom senso político vai imperar e que a lei aprovada seguirá o seu caminho e entrará em vigor na data prevista, não sendo posta em causa. Salientamos que monopólios não são saudáveis, o que é confirmado pela aceitação dos consumidores aos serviços prestados pelo TVDE. A todos os parceiros e motoristas de TVDE, reforçamos a importância de continuar a prestar um serviço de excelência aos consumidores, que no uso da sua faculdade de escolha, escolhem-nos para os transportarmos. Vamos todos contribuir para a sã convivência entre os vários operadores de transportes e, numa óptica de gestão das cidades onde operamos, contribuir para a diminuição da circulação da viatura própria. A Comissão de gestão.
20 setembro 2018